ACÓLITOS

Que possamos seguir o exemplo de São Tarcísio, padroeiro dos acólitos e coroinhas, que deu a vida para proteger a Hóstia consagrada. Que ele interceda por cada um que é chamados ao serviço do altar, dê-nos sabedoria e força para servirmos com dignidade e amor no Santo altar do Senhor. São Tarcísio, rogai a Deus por nós!

Coordenação Atual

  • Gabriel Dias

acolitos.jpg

    A palavra acólito vem do verbo acolitar, que significa acompanhar no caminho, acólito é aquele ou aquela que, na celebração da liturgia, precede, vai ao lado ou segue outras pessoas, para as servir e ajudar.
Em primeiro lugar acompanha e serve o presidente da celebração da missa, que tanto pode ser o bispo como o presbítero; em segundo lugar acompanha e serve o diácono, o ministro extraordinário da comunhão, ou outras pessoas que precisam de ser ajudadas durante a celebração. Noutras celebrações, acompanha e serve as pessoas responsáveis por essas mesmas celebrações.
Podemos então dizer que o acólito, desde o princípio até ao fim da missa, acompanha, ajuda e serve o próprio Jesus. Ele não o vê com os seus olhos; mas a fé ensina-o.
Ser chamado por Deus para o serviço do altar é um grande privilégio, não um direito. É muito mais que ajudar o sacerdote a transportar os objetos litúrgicos ou executar as funções que lhe são próprias. É estar a serviço do altar e do próximo, é participar do Mistério Pascal de Cristo, ou seja, da sua Paixão, Morte e Ressurreição.
Servir ao altar é estar aos pés da cruz, é contemplar o Cristo ressuscitado com os olhos da fé e viver alegremente o Evangelho.
O serviço do altar é um compromisso de amor, dedicação e zelo. “O zelo pela tua casa me consome.” (Jo 2,17) 


Participe conosco.